vontades presas

20 11 2007

a grade me libertara de um querer proibido
e agora é tempo de acordar e encher o tanque
pra rodar todos os quilometros impossiveis
de serem pisados
porque foram feitos para pequenos aviões pousarem,
mas as asas estão atrofiadas
e vou correr e pular
no abismo que finda a rua
para entrar na dimensão em que, libertos,
somos tão juntos que parecemos apenas uma

apenas quando sua mão reclinar no meu ombro
quando você beijar suavemente
a chave que guardou no peito, escondida
depois de me acordar do pesadelo
meus passos serão tinta fresca
nessa xerox

e eu passo a ser uma droga que você recusa

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: